25
jul

Saiba tudo sobre as melhores práticas e habilidades necessárias para ser um bom gestor

Nesses 15 anos de estrada tivemos contato com diversos gestores de agências criativas. Conhecendo suas dificuldades de perto, resolvemos listar alguns pontos importantes de como ser um bom gestor para sua agência!

Dirigir uma agência de comunicação é uma missão que demanda uma série de habilidades essenciais para a condução de qualquer negócio. Ter competência para delegar tarefas, ser um líder exemplar e ter pensamento estratégico são alguns exemplos de ações imprescindíveis para qualquer administrador que deseja obter sucesso na sua jornada de liderança. Saber como ser um bom gestor é fundamental para realizar essa trajetória, enfrentando desafios e construindo alternativas junto aos colaboradores.

Porém, não é só isso, se você é um gestor que objetiva crescimento acelerado, saiba que há muito trabalho pela frente. Não é necessário ter um dom especial para ser um bom líder da agência, mas sim desenvolver as características necessárias para impulsionar sua equipe a realizar as tarefas da melhor forma possível.

Quer aprender mais sobre como ser um bom gestor para sua agência de comunicação? Confira o nosso post especial e entenda mais sobre o assunto!

Quais são as principais características de um bom gestor?

Um bom gestor tem uma série de características importantes para realizar suas atividades com sucesso. Veja quais são esses aspectos a seguir!

Proatividade

O comportamento proativo é aquele que antecipa problemas, com iniciativa e responsabilidade. A proposta é evitar que as dificuldades aconteçam, estimulando a realização de previsões a partir de informações e dados sólidos.

A proatividade evita dificuldades e promove formas de facilitar o dia a dia na agência. Com isso, o trabalho fica mais ágil e preciso. Uma liderança proativa estimula os colaboradores a serem mais cuidadosos e a tomarem iniciativas para minimizar dificuldades.

Controle e autoconfiança

Controle e autoconfiança são muito necessários no trabalho de um gestor. Eles contribuem para um manejo mais equilibrado das variáveis envolvidas nos problemas. Esses aspectos proporcionam condições para a realização de análises mais precisas e para uma leitura de realidade mais sólida.

Além disso, o controle e a autoconfiança oferecem condições para que o gestor tenha facilidade para lidar com pessoas. Os colaboradores, por melhores que sejam, enfrentam desafios no dia a dia e precisam de direcionamento e estímulo para construírem alternativas. Um bom líder é capaz de oferecer esses fatores para o time, com a dose certa de autonomia

Os clientes também podem ser bastante exigentes e é fundamental oferecer a eles uma escuta apurada e um cuidadoso atendimento do pedido. A autoconfiança e o controle ajudam o gestor a lidar com essas questões.

Busca de aprendizado contínuo

Bons gestores buscam aprender continuamente. Os processos de educação corporativa oferecem novas perspectivas, promovendo criatividade e instrumentalizando com as ferramentas necessárias para o desenvolvimento de alternativas bem estruturadas e construtivas.

Essa característica também é importante porque ela mobiliza uma maior disposição para lidar com os colaboradores, porque a proposta é aprender com os profissionais. A busca de aprimoramento também promove a maximização de potencialidades e ajuda na correção de dificuldades.

Abertura a feedbacks

Ter abertura a feedbacks é muito importante para ser um bom gestor. O feedback é uma contribuição sobre o desempenho, buscando ser um acréscimo construtivo para a pessoa que o recebe. Ele estimula a reflexão e o aprimoramento contínuo. 

A abertura a feedbacks proporciona aprendizado e crescimento, estimulando o processo de avaliar as suas condutas como gestor. Isso ajuda a criar estratégias, preservar os comportamentos certeiros e desenvolver a criatividade e coragem para criar e tentar novas alternativas. 

Um gestor receptivo aos feedbacks demonstra maturidade, humildade e disposição para aprender, aspectos que são essenciais para liderar com sucesso.

Habilidade para gerenciar conflitos

Os conflitos na equipe não são um problema se você souber manejá-los. São ocorrências naturais onde há tantas pessoas diferentes interagindo. É preciso olhar para as divergências como possibilidades para crescimento e aprendizado. Nesse processo, é importante saber mediar as relações para conseguir extrair o que há de melhor dos desentendimentos que acontecem na agência de comunicação. 

Para gerenciar bem conflitos, é necessário desenvolver uma posição neutra, evitando tomar partido. Além disso, é preciso ajudar as partes a construírem uma solução em conjunto, o que demanda habilidade para escutar as pessoas e para estimular o potencial delas na construção de uma alternativa viável.

Habilidade para estimular o potencial dos colaboradores

Todo colaborador tem um amplo espectro de qualidades e pontos positivos. Uma boa liderança é aquela que consegue estimular o potencial dos profissionais, para que eles liberem suas capacidades e estejam em contínuo crescimento. Isso contribui para gerar mais dedicação, engajamento e compromisso por parte da equipe.

Esse processo demanda do gestor uma habilidade para enxergar as potencialidades do trabalhador. Um olhar otimista e positivo ajuda na criação de um clima propício para que o colaborador invista no que tem de melhor para entregar bons resultados e promover sucesso para a agência. A estimulação adequada pode promover efeitos benéficos, bem-estar e mais produtividade.

Firmeza na tomada de decisões

Um bom gestor tem flexibilidade, maleabilidade e sabe lidar com as diferenças de papéis entre ele e os colaboradores. Isso envolve saber manejar a autoridade e o poder de decisão. Ele cria um ambiente propício para que os colaboradores falem opiniões e ofereçam suas contribuições.

Há espaço democrático para o diálogo e receptividade para novas propostas. Porém, nos momentos necessários, o líder é um decisor e precisa de firmeza. Isso não significa ser autoritário, mas sim fazer as escolhas certas estando à frente da equipe.

Ele leva em consideração o que os trabalhadores trazem, mas também necessita de pulso firme para dar a palavra final. A boa liderança tem habilidade para transitar por esses espaços de poder de forma articulada, maleável e mantendo um nível adequado de autoridade.

Planejamento e pensamento estratégico

Articular possibilidades para criar alternativas para o enfrentamento de obstáculos é essencial para o alcance dos objetivos preestabelecidos. A capacidade de planejamento e o pensamento estratégico são importantes para o desenvolvimento de propostas criativas e viáveis para resolver desafios. 

Com a criação de planos sólidos e realistas, o gestor tem mais possibilidade de alcançar os resultados desejados. Para isso, é importante realizar análises precisas dos problemas e estruturar uma compreensão bem embasada das variáveis envolvidas.

Habilidade para criar um ambiente construtivo e inclusivo

A liderança tem grande responsabilidade na criação de um ambiente inclusivo e construtivo. Um bom gestor cria condições para que todos possam fazer parte do time, com respeito às diferenças e colaboratividade. 

A proposta não é a tolerância, mas sim a inclusão, o respeito às singularidades, desenvolvendo um ambiente propício para que todos sejam acolhidos na equipe. Para isso, é fundamental estimular a aceitação e incentivar uma atitude de não-julgamento. Isso permite gerenciar as questões de forma mais coerente e flexível.

Como ser um bom gestor, afinal?

Nós separamos sete dicas valiosas para inspirar você a encarar esse desafio com excelência! Veja quais são elas a seguir!

1. Seja um bom líder

Mais do que enxergar o que precisa ser melhorado, é essencial encontrar soluções para problemas comuns na rotina de uma empresa. E nada mais justo do que procurar por essas respostas em conjunto: impulsionando sua equipe a expor suas ideias e, sobretudo, estimulando-a a se sentir útil e confiante.

Um líder deve ser capaz de manter um diálogo claro com seus funcionários, saber ouvir opiniões que nem sempre serão similares às suas e estimular a participação de seus funcionários.

Sabemos que a rotina de uma agência pode ser um tanto quanto atarefada, o que acaba afetando a comunicação do gestor com toda a equipe. Nesse caso, optar por enviar um e-mail rápido aos funcionários pode, sim, ser a alternativa mais eficaz naquele momento.

Entretanto, o ideal é que a falta de tempo não seja motivo de um distanciamento entre você e a sua equipe, e que, sempre que possível a simples troca de e-mail seja substituída por reuniões face a face.

Diante disso, você terá mais facilidade para fazer com que as pessoas trabalhem junto a você e, sobretudo, acreditem no seu projeto da mesma forma que você. E se você objetiva ser aquele líder que a sua equipe precisa, não tenha medo de mudanças e inovações. Bons líderes inovam e criam novos caminhos.

2. Não confunda autoridade com liderança

Ser um bom gestor tem relação com poder. Mas o mais importante é a forma pela qual você acompanha e controla cada ação desenvolvida por sua equipe. Nesse caso, sua presença não deve ser sinônimo de inquietação entre os colaboradores, mas sim, de força e segurança.

E se você tem pulso firme para delegar tarefas e acompanhá-las de perto, não tenha medo de compartilhar o que você sabe com sua equipe. Ademais, permita-se aprender com seus colaboradores a cada dia. Afinal, um líder nunca se dá por satisfeito quando o assunto é conhecimento.

3. Integre sua equipe em decisões importantes

Ao longo do tópico anterior, reafirmamos a importância de se construir um diálogo saudável com sua equipe, certo? Todavia, de nada adianta manter uma boa relação com seus colaboradores se suas opiniões não forem levadas em consideração. Como ser um bom gestor se você não está pronto para ouvir? Impossível.

Se você vive diariamente a rotina de uma agência, sabe que, sem a integração de toda a equipe, é impossível desenvolver qualquer tarefa de forma eficaz. Tal alinhamento está presente desde o Atendimento até o setor de Mídia. Nesse caso, a transparência nas operações é a chave para se obter bons resultados.

Ao integrar a sua equipe em decisões importantes, você estimulará o potencial criativo dela. Além disso, a medida permite impulsionar o crescimento pessoal e profissional dos colaboradores, uma vez que eles estarão motivados a procurar, dentro e fora da empresa, o conhecimento necessário para solucionar questões internas.

Para impulsionar a participação da sua equipe é importante ter em mente que qualquer mudança deve ocorrer primeiro em você. Nesse caso, o ideal é que você esteja aberto para ouvir sugestões e opiniões, mesmo que sejam diferentes do que você pensa. Estimule sua equipe a participar!

Outra questão que pode (e deve!) ser avaliada, está relacionada com a hierarquia. Se o modelo de gestão é baseado em um excesso de estruturas de poder, talvez seja o momento de repensar a estrutura hierárquica da sua agência. Afinal, a quem os colaboradores devem recorrer? Se o foco é gerar participação, tal modelo pode não ser a melhor forma de promover o engajamento da equipe.

4. Invista em ferramentas que otimizem o fluxo de trabalho

A integração entre a equipe é essencial para a troca de informações sobre determinada tarefa e é fundamental também ter um fluxo de trabalho otimizado. Isso porque, ao gerenciar processos internos em sua agência, sua gestão se torna mais eficaz, evitando que prazos sejam excedidos e informações importantes sejam perdidas.

Quando todos os setores estão alinhados, fica mais fácil controlar de forma eficiente todas as atividades desempenhadas no dia a dia, uma vez que é possível ter uma real noção de todo o desenrolar de uma tarefa. Isso só pode acontecer quando você adota uma ferramenta capaz de gerenciar, de forma otimizada, todos os processos de sua agência.

Nova call to action

O seu atendimento costuma ficar perdido em relação às notificações da finalização de um job? Se a resposta for positiva, é preciso repensar a forma com a qual você gerencia o seu negócio.

Quer um exemplo prático? Imagine só a seguinte situação: os seus criativos finalizam um job, e cada um deles notifica o atendimento de formas distintas. Um faz o aviso por e-mail, outro por Whatsapp. E o terceiro? Por telefone! O atendimento nunca sabe em qual meio de comunicação deve ficar atento para receber a informação. Isso tudo é uma verdadeira bagunça!

Um software de gestão especializado para agências de comunicação permite manejar os processos, mantendo o controle de todas as etapas e variáveis envolvidas. Desta forma, você padroniza todo o fluxo de trabalho, o que influencia diretamente na produtividade da sua equipe e evita que prazos sejam perdidos.

5. Acredite no seu negócio

Ter paixão pelo seu negócio é imprescindível para vencer as barreiras diárias e, principalmente, para motivar sua equipe a ser cada vez melhor no que faz. Se você se enxerga a frente da sua agência daqui a 10, 20 anos é sinal que está no caminho certo e acredita naquilo que se propôs a fazer.

Em contrapartida, se você não acredita no seu empreendimento, dificilmente conseguirá lidar com adversidades comuns à rotina de um gestor. Isso afetará diretamente a produtividade da sua equipe. 

Afinal de contas, a liderança está baseada em demonstrar confiança aos seus colaboradores, e isso se concretiza naturalmente quando há paixão pelo que se faz. Mais uma vez, a motivação é a palavra de ordem para que, dia após dia você levante da cama com um objetivo em mente. 

Por fim, questione-se sobre os motivos pelos quais você está na empresa. A resposta pode estar em diversas frentes, seja na construção de uma carreira consolidada ou por motivos financeiros. No mais, se empenhe por algo que você acredita.

6. Invista em sua capacitação

Tão importante quanto capacitar profissionalmente sua equipe é investir no seu próprio aprendizado. Imagine um gestor que não delega tarefas de forma eficiente porque não entende sua própria estrutura organizacional?

Nesse sentido, compreender de forma pertinente o funcionamento de cada setor é essencial para que uma gestão não se baseie em achismos, mas sim em informações concretas que vão trazer resultados efetivos para a empresa.

Lembra que, no primeiro tópico sobre liderança elencamos que o desenvolvimento de habilidades é, na verdade tão, ou mais importante do que o “jeito” que se leva para administrar um negócio? Então, uma das formas de tornar tais habilidades presentes na sua rotina como gestor é investir no seu aprendizado.

Existem opções específicas que atendem diretamente cada demanda, tais como dinâmicas, palestras, debates e casos que objetivam a resolução para problemas reais da empresa. Ainda não está convencido de que investir em capacitação é a chave de como ser um bom gestor? 

Pois saiba que se capacitar continuamente é uma maneira eficaz de aprimorar competências em diversos âmbitos. Dessa forma, você aumenta seu arsenal de capacidades para o enfrentamento dos desafios do dia a dia. A medida também oferece condições para que você possa aprender coisas novas para compartilhar com a equipe, promovendo a circulação do saber.

O aprimoramento constante permite ainda conhecer líderes de outras empresas, focados em desenvolver soluções eficazes e parcerias edificantes para os negócios. Com isso, você forma um sólido networking e pode enriquecer suas perspectivas na gestão.

7. Tenha organização e disciplina

Até agora falamos da importância de ser um líder que motiva e inspira sua equipe a trabalhar cada vez melhor. Mas há duas características que influenciam diretamente para que o gestor seja um bom exemplo para seus colaboradores: a organização e a disciplina.

Claro que estas não são qualidades exclusivas de gestores. Qualquer profissional que deseja melhorar sua produtividade não só pode como deve separar um tempo para organizar suas tarefas diárias, sua caixa de e-mail, enfim, toda a rotina. Do contrário, é fácil se perder em meio a tantas atividades que costumam se acumular durante o dia.

O resultado é um gestor ansioso e inseguro diante de uma grande carga de trabalho. E, acredite, as consequências disso não são nada favoráveis, uma vez que o administrador tende a tomar decisões equivocadas, baseadas na ansiedade e emoção.

Por isso, um controle de rotina com todas as tarefas organizadas por maior e menor prioridade deve ser inserido em seu ritual de rotina diária.

Como a tecnologia pode ajudá-lo a ser um bom gestor?

A tecnologia oferece uma série de alternativas para otimizar processos e promover facilidade para o seu dia a dia. Os softwares para gestão de agências são ferramentas essenciais para o controle do fluxo de processos e para facilitar a rotina no estabelecimento.

Com a tecnologia, é possível melhorar o relacionamento com clientes, esquematizar o fluxo de trabalho e acompanhar o workflow em dashboards. Você também consegue monitorar o desenvolvimento do trabalho por todos os colaboradores em plataformas integradas.

Além disso, os recursos informatizados possibilitam fazer uma melhor gestão do tempo e das tarefas, criar orçamentos, unificar dados distintos em relatórios de gestão e documentos e construir propostas para os clientes com mais segurança. O software de gestão também integra os processos ao financeiro e possibilita avaliar a performance da agência.

Com todas essas facilidades, os processos operacionais são gerenciados com velocidade, presteza e precisão. Com isso, você pode focar no papel estratégico da gestão, além de poder dedicar mais atenção para os colaboradores. 

Agora ficou mais fácil, certo? Com objetivos bem delineados e disciplina para colocá-los em prática, você já tem bagagem suficiente para ser o gestor que inspira, motiva e delega tarefas de forma organizada e eficaz.

Não se esqueça de integrar sua equipe em decisões importantes e investir em ferramentas que aperfeiçoem o fluxo de trabalho e facilitem o gerenciamento de projetos. Por fim, acredite no seu projeto, invista em capacitação e não perca o foco. Disciplina e organização são as bases para que todas essas ações funcionem de verdade.

Gostou de nosso conteúdo especial sobre como ser um bom gestor? Aproveite e baixe nosso guia completo de gestão para agências!

Nova call to action