19
out

O que é deep work e seu papel na concentração e produtividade

Fazer mais tarefas em menos tempo é o desejo de diversos profissionais, que sonham em ser mais produtivos. Alcançar essa meta pode parecer um desafio em um primeiro momento, mas o conceito de deep work mostra que é mais fácil do que se pensa.

o que é deep work e seu papel na concentração

Você, em algum momento, já pensou que poderia ser muito mais produtivo do que, de fato, é? Já finalizou um dia de trabalho e constatou que, apesar de estar cansado, não realizou tantas tarefas como gostaria e/ou precisava? Esses podem ser alguns problemas comuns a diversos profissionais, mas a boa notícia é que tem como modificar esse cenário. Para isso, basta ser adepto do deep work.

Essas duas palavras têm sido cada vez mais usadas nos dias atuais e vêm promovendo transformações no modo de ver e viver o trabalho. Neste artigo, vamos explicar o que é esse conceito, como ele funciona e quais são os seus resultados práticos, além de dar dicas de como aplicá-lo no seu dia a dia. Acompanhe!

O que é deep work?

O conceito de deep work é apresentado no livro de Cal Newport, lançado em 2015, que recebeu o nome de “Deep work: rules for focused success in a distracted world”. Em português, a obra foi chamada de “Trabalho focado: como ter sucesso em um mundo distraído”.

O próprio nome da publicação já diz muito sobre ela. A ideia destacada pelo autor é a de que é possível, sim, ser muito mais produtivo do que, geralmente, se está sendo.

Para isso, é necessário trabalhar de maneira profunda, focada, isto é, realmente concentrar no que está sendo feito naquele momento.

Quem é Cal Newport?

Sim, você já sabe o que é o deep work. Mas, afinal, quem é Cal Newport, que propõe essas ideias? O autor é professor de ciência da computação na Universidade Georgetown, nos Estados Unidos. Além disso, já finalizou seis livros de auto-aperfeiçoamento.

Ao longo do tempo, Newport tem se dedicado a escrever sobre como se manter produtivo em uma era digital que deixa as pessoas cada vez mais distraídas.

Qual o problema em ser multitarefas?

Talvez, a essa altura, você esteja pensando que, para ser produtivo, é preciso fazer várias coisas ao mesmo tempo. Caso tenha imaginado isso, sinto lhe dizer que está errado.

Na verdade, o fato de não focar em uma tarefa só faz com que todas as que estão recebendo a sua atenção ao mesmo tempo sejam menos primorosas do que as demais.

Além disso, quando se alterna as atividades a todo instante, a concentração fica prejudicada.

Quer algo bem feito? Foque nele até terminar.

Quais são as habilidades necessárias para estar em deep work?

Para estar em deep work, porém, não basta somente querer. É preciso ter e/ou cultivar pelo menos duas habilidades fundamentais.

Uma delas é dominar, de maneira ágil, coisas que contam com um alto nível de dificuldade e de complexidade.

Já a outra é a capacidade de produzir entregando verdadeiramente um bom trabalho não só no que diz respeito à velocidade, mas também à qualidade.

Quais são as melhores dicas para entrar em deep work?

Agora que já sabe o que é deep work e as suas principais características, chegou a hora de ficar atento ao que é necessário fazer para aplicar o conceito no seu cotidiano de trabalho. Preparamos dicas especiais para você!

1. Tenha rotinas e rituais

Quando você estabelece uma rotina e entende a necessidade de cumpri-la, as distrações acabam sendo deixadas de lado. Determine o que você vai fazer em cada hora de trabalho do seu dia e não se desvie disso.

Lembre-se, ainda, que é preciso ter pelo menos algum tempo de inatividade também. Isso ajuda a descansar o cérebro e faz com que as tarefas a realizar sejam feitas de maneira mais eficiente.

2. Livre-se das redes sociais

Geralmente, as coisas acontecem da seguinte maneira: você entra na rede social para checar uma notificação qualquer. No fim, não se sabe como, você está há 20 minutos se distraindo com vídeos de gatos.

Para evitar situações como essa, deixe as redes sociais de lado quando estiver trabalhando. Reserve um horário do dia para verificá-las e esqueça-as no restante do tempo.

3. Programe seu dia

Se você não sabe, exatamente, o que vai fazer no seu dia, fica muito mais difícil ser produtivo, afinal, você não tem uma meta do que deve realizar e nem como batê-la ou ultrapassá-la.

Para evitar isso, marque na sua agenda todas as suas atividades e o tempo necessário para cada uma delas. Não se esqueça de que alguns pontos podem ser flexíveis e de que reagendamentos podem se fazer necessários em determinadas circunstâncias.

4. Quantifique a produtividade de cada atividade

Quanto tempo você gasta em tarefas que não são as que merecem o seu foco principal, como checagem de e-mails, conversas superficiais pelo telefone, entre outras?

Faça essa análise e otimize os seus horários de maneira tal que invista mais nas atividades mais complexas e profundas.

5. Termine seu dia às 17h30

Você já percebeu que, quando você tem um horário certo para entregar determinada tarefa, costuma produzi-la muito mais rapidamente do que quando o prazo é mais extenso? O fato de haver um tempo para a finalização de algo faz com que você trabalhe mais focado e concentrado em seu objetivo.

Por isso a dica de terminar o seu dia às 17h30. Com um tempo limite para realizar as suas ações, fica mais fácil elaborar estratégias de produtividade para cumprir tudo o que é necessário com qualidade e de forma mais ágil.

Estar em deep work fará com que você consiga trabalhar mais, de maneira mais eficiente, gastando o mesmo tempo de antes e, ainda, sem se sentir exausto no fim do dia. Aplique o conceito no seu cotidiano e seja um profissional diferenciado no mercado.

Gostou deste artigosobre deep work? Quer saber ainda mais sobre como ser produtivo? Baixe já o nosso kit de produtividade!

Nova call to action