13
nov

Já ouviu falar em gestão horizontal? Veja por que adotar na agência

Você sabe qual é a diferença entre a gestão horizontal e a vertical? Descubra aqui neste post!

gestão horizontal

A estrutura organizacional é a base para muitas escolhas na administração de empresas, e a gestão horizontal é uma metodologia que vem sendo aplicada com frequência. Grandes instituições já adotaram esse tipo de gestão para alcançar resultados de forma otimizada. Que tal aplicar na sua agência?

Neste post você vai saber no que consiste a gestão horizontal, as principais diferenças dela quando comparada com a gestão vertical e os principais motivos para implementá-la. Acompanhe abaixo e saiba como administrar com mais colaboração e menos hierarquia pode ser positivo para sua agência e para o seu time de funcionários.

O que é gestão horizontal?

A gestão horizontal prevê uma administração que valoriza mais a contribuição e a autogestão do que as relações hierárquicas no ambiente profissional. O assunto é relativamente novo, porém, já é percebido na prática de muitas empresas.

O método surgiu em resposta à transformação do mercado de trabalho, que apresenta um cenário mais participativo, autônomo e multitarefas.

Assim, é possível apontar como principais características dessa gestão:

  • participação de diferentes profissionais nas decisões;
  • organização das tarefas e projetos em grupos multidisciplinares e autogerenciáveis;
  • comunicação mais fácil, rápida e direta;
  • operação mais flexível das tarefas, sem engessar processos;
  • agilidade e criatividade ganham espaço para resolver problemas e propor soluções.

É importante ressaltar que, mesmo na gestão horizontal, o papel dos líderes segue fundamental. São eles que mostram os direcionamentos para que as atividades sejam organizadas e executadas pelos colaboradores. Contudo, a forma como a equipe dará andamento é muito mais aberta para inovação e participação de todos os envolvidos.

Na gestão horizontal fica evidente a diferença de chefia e liderança. Vale destacar que o primeiro termo é focado no controle e em definições padronizadas. Já o segundo proporciona a troca e a autogestão, sem deixar de acompanhar o desempenho de cada colaborador.

Guia completo de gestão para agências: Saiba tudo sobre como otimizar seus processos!

Faça o download do nosso guia de gestão e tenha acesso a tudo o que você precisa para organizar sua agência e alavancar seus resultados

Qual é a diferença entre a gestão horizontal e a vertical?

Aproveitando a citação anterior na qual foram comparados os termos chefia e liderança, você sabe dizer qual a principal diferença entre a gestão horizontal e a vertical? Para responder ao questionamento, é primordial saber que gestão vertical tem como foco um organograma clássico, hierárquico, com cargos e funções bem-definidos.

A principal diferença é que nesse tipo de gestão é comum que as questões estratégicas fiquem na esfera dos cargos diretivos e a execução com os colaboradores que não ocupam posições de coordenação, supervisão, gerência e presidência.

Bem diferente da gestão horizontal, que incentiva a participação, inovação e abre espaço para a contribuição de todos, não é mesmo?

Quais são os principais motivos para adotar a gestão horizontal na sua agência?

Existem muitas vantagens para apostar na gestão horizontal como mecanismo para administrar o seu negócio. Acompanhe abaixo os principais motivos para implementar na sua agência.

Motivação

Quando o time tem espaço para dar opinião, sugerir diferentes caminhos e propor soluções para os desafios, o engajamento e a motivação costumam ficar mais intensos. Com isso, a produtividade da equipe é potencializada e os resultados tendem a ser melhores dos que são alcançados por funcionários desmotivados e sem conexão com os objetivos da empresa.

Custos

Ao enxugar níveis hierárquicos da estrutura da empresa é natural que alguns cargos não façam mais sentido, pois não agregam valor e não impactam diretamente no desempenho da equipe. Com isso, a agência que aposta na gestão horizontal pode ter uma redução de custos considerável.

Autonomia

O desenvolvimento da autonomia dos colaboradores é uma forma de otimizar a performance da equipe e, com isso, gerar resultados positivos e satisfatórios para a empresa. Ainda, dar autonomia é uma via de mão dupla e o colaborador costuma entregar dedicação e responsabilidade em troca.

Comunicação

A gestão horizontal promove um ambiente no qual a comunicação entre pessoas e processos acontece de forma mais fluida, rápida e direta. Por não ter a necessidade de passar por muitos níveis hierárquicos ou setores que trabalham isoladamente, esse tipo de gestão possibilita que as interações ganhem atalhos e torna os processos mais ágeis.

Flexibilidade

As tendências do mercado de trabalho apontam para ambientes mais flexíveis e de alta performance, não é mesmo? Diante disso, é importante destacar que a gestão horizontal não trabalha com as etapas de processos engessadas ou soluções padronizadas. Assim, possibilita mais flexibilidade nas tomadas de decisão e também nas questões comportamentais dos colaboradores.

Custo-benefício

A gestão horizontal melhora a relação custo-benefício para a agência diante de vários aspectos. Os colaboradores são incentivados a fazer mais e a serem protagonistas dos processos e das proposições. Em troca, costumam ser beneficiados com melhores salários por assumirem novas responsabilidades e por entregarem melhores resultados.

Com isso, o aumento da produtividade do time gera mais lucro e a empresa consegue colher os frutos por ter uma gestão mais colaborativa.

Talentos

Quando o ambiente de trabalho abre espaço para que o colaborador tenha voz para opinar, sugerir soluções e construir novos caminhos, fica mais propício para identificar novos talentos.

Como exemplo, é possível mapear aqueles que têm perfil de liderança e auxiliar no desenvolvimento de competências e habilidades para que sejam preparados para novos desafios e funções.

Um ponto que precisa ser destacado é relacionado à implantação da gestão horizontal. Em um primeiro momento, apostar nesse método pode exigir esforços, cautela e preparação. No caso das empresas que pensam em mudar a gestão vertical para a horizontal, é importante alinhar a nova estrutura com a cultura da empresa, com o mindset dos líderes e com os colaboradores.

É comum encontrar gestores resistentes às mudanças que impactam nas suas atividades, assim como colaboradores preocupados com as novas tarefas sem um direcionamento definido.

Você deve estar pensando se a gestão horizontal é uma técnica empresarial que pode ser aplicada na sua agência, certo? Saiba que sim! A metodologia é aderente tanto para grandes empresas quanto para aquelas menores, como startups.

Aproveite que o tema sobre gestão horizontal explora a questão de atitudes mais colaborativas e deixe o seu comentário sobre o assunto aqui no post. Comece por aqui a construir uma postura mais aberta e de alta performance!