08
mai

Modelo Canvas: o que é e como aplicar no seu negócio

Dificuldades em visualizar o planejamento estratégico de seu negócio? O modelo Canvas pode te ajudar a melhorar a gestão de seus processos. Confira em nosso post!

Exemplo de um modelo Canvas.Seja na hora de montar uma nova campanha ou reestruturar um projeto em andamento, o modelo Canvas é um ótimo método para facilitar a gestão.

Está sem tempo? Então clique no player abaixo e ouça nosso post!

Estruturar um negócio em todos os seus detalhes não é tarefa fácil. É preciso identificar parceiros, qual o diferencial da empresa no mercado, o perfil do cliente entre muitas outras áreas.

Com tantos pormenores, realizar esse planejamento sem ferramentas tomaria muito tempo e provavelmente os resultados não seriam os melhores. Nesse sentido, existem vários métodos para facilitar a visualização dessa estrutura, e um deles é o modelo Canvas.

Este modelo pode ser utilizado tanto para idealizar novos negócios quanto para reorganizar aqueles que estão em andamento, tornando-os visualmente mais práticos e acessíveis.

Quer saber mais sobre o modelo Canvas, suas vantagens e como utilizá-lo? Então confira abaixo em nosso post todas as informações que você precisa para começar a elaborar melhor seus planos de negócio!

O que é o modelo Canvas?

Desenvolvido em 2008 pelo teórico de negócios sueco Alexander Osterwalder, é uma representação visual de negócios novos ou em andamento, muito utilizado por gestores estratégicos.

O modelo Canvas (em português, tela ou quadro) fornece uma visão holística do negócio como um todo e é especialmente útil na hora de realizar uma análise comparativa do impacto que determinado investimento pode ter nos fatores ligados ao empreendimento.

O Canvas providencia aos colaboradores da empresa uma linguagem comum na qual eles podem avaliar processos tradicionais e trazer inovações para seus procedimentos.

Você pode utilizá-lo para questões operacionais, como deixar mais claro o andamento de tarefas dos setores da empresa, e para assuntos mais estratégicos, como uma melhor visualização das demandas necessárias para conquistar um novo nicho de mercado.

Ele é geralmente dividido em nove partes, todas interligadas e que dizem respeito a áreas funcionais e criativas. São elas: segmentos de clientes, proposta de valor, canais, relação com clientes, fonte de receita, principais atividades, recursos-chave, parcerias-chave e estrutura de custos.

Em houses e agências de comunicação, o modelo Canvas pode ser usado como um importante instrumento gerencial.

A usabilidade do Canvas em agências de comunicação

As agências estão sempre cheias de campanhas para clientes com deadlines apertados e processos que precisam de organização. Se uma tarefa atropelar a outra ou se todas as características da campanha não forem acertadas logo de início, é muito provável que os resultados não sejam os esperados.

O modelo Canvas é uma excelente ferramenta para que as agências de comunicação possam visualizar, de maneira rápida e fácil, todas as variáveis que fazem parte do planejamento das campanhas.

Dessa forma, fica muito mais fácil gerenciar os times; e todos os colaboradores podem ter acesso ao quadro para realizarem suas tarefas com mais objetividade. Mas de que forma você pode montar um modelo Canvas para sua agência?

Nova call to action

Como construir um modelo Canvas em uma agência?

São 9 fatores que devem ser considerados na hora de elaborar o quadro. No centro fica a Proposta de Valor, que será o norte para elaboração dos outros pontos. Na parte da esquerda estão princípios relacionados a áreas mais práticas.

Na parte da direita situam-se fatores mais estéticos e estratégicos, que dizem respeito ao perfil dos clientes e como será o relacionamento com eles. Já na porção inferior do quadro ficam os aspectos financeiros.

Você pode imprimir e colar nas paredes, usar post-its para deixar chamativo ou usar versões digitais interativas. Vamos ver agora os tópicos que compõem o quadro Canvas!

  1. Segmentos de clientes: Qual o seu público-alvo? Identifique para quem sua agência se direciona. Estude o segmento que melhor encaixa em sua proposta de valor e foque nela.
  2. Proposta de valor: Nessa seção você irá colocar quais valores sua agência irá gerar para seus clientes. Não foque em produtos ou serviços oferecidos, mas sim no diferencial que sua agência possui, ou seja, em quais aspectos ela se destaca das outras. Pergunte-se por que um cliente escolheria você.
  3. Canais: Defina por quais meios de comunicação você irá entrar em contato com novos clientes e por quais você manterá contato com aqueles que já estão na carteira. Determine onde e como atingi-los.
  4. Relacionamento com clientes: Após definidos os canais e o segmento de clientes, é hora de estabelecer a maneira pela qual essa relação se dará. É mais voltado para estratégias de relacionamento levando em consideração os aspectos de seu público-alvo. Uma área de Customer Success pode ser uma boa maneira de fidelizar clientes.
  5. Atividades-chave: Indique quais atividades são essenciais para que sua agência entregue a proposta de valor para seus clientes. Pense em qual é o núcleo de seu negócio e seu diferencial.
  6. Recursos principais: O que você precisa para manter sua agência em pé? Pense em todos os recursos essenciais para entregar sua proposta. Faça uma lista de todas as peças necessárias, como recursos humanos, criativos, financeiro, equipamento, investimentos etc.
  7. Parcerias Principais: Em um mercado competitivo, é sempre bom contar com parceiros para ajudar em seus empreendimentos. Liste seus fornecedores estratégicos e alianças de negócio que complementam suas atividades, como serviços terceirizados.
  8. Estrutura de custo: Levante quais são os custos diretos e indiretos para que a proposta de valor possa ser aplicada sem prejuízos para a agência. Essa estrutura pode envolver custos fixos e variáveis.
  9. Fontes de receita: Delimite de quais formas a agência gerará receita a partir dos serviços oferecidos. Estipule como e quanto o cliente irá pagar com base em sua proposta de valor.

Como essa técnica pode ser aplicada no marketing digital?

Se sua estratégia é desenvolver campanhas de marketing digital para seus clientes, o modelo Canvas também pode ser um grande aliado.

Na hora de definir as personas, descrever as agendas de produção de conteúdo para blogs, criar materiais ricos e indicar quais métricas serão usadas para calcular os resultados, um modelo específico para essas tarefas digitais será muito útil, trazendo diversas vantagens, como:

  • melhor planejamento estratégico de pautas;
  • agrega ferramentas de maneira definida e clara;
  • envolve todo o time na execução de suas tarefas;
  • facilita a comunicação e incentiva a criatividade;
  • permite uma visão sistêmica e facilitada dos processos.

O modelo Canvas é uma importante ferramenta para o planejamento de negócios, pois oferece uma facilidade visual na hora de analisar todos os fatores que impactam uma campanha para um cliente. No entanto, só ele não é o suficiente para que sua agência se destaque no mercado.

A matriz swot é outro recurso muito interessante para você conhecer mais a fundo as qualidades de sua agência e como você está com relação a seus concorrentes. Trabalhar com o modelo Canvas juntamente a uma matriz swot pode alavancar sua gestão e te colocar á frente no mercado.

Então, baixe agora nossa planilha de matriz swot e melhore o planejamento de sua agência!

Nova call to action