13
mar

O que é turnover e como calcular esse indicador na agência?

A rotatividade na agência está frequente? Então confira nossas dicas e aprenda a eliminar esse problema agora mesmo!

Reduzir o turnover depende de algumas práticas fundamentais na organização, confira quais são.

Por mais que uma empresa possua produtos ou serviços incríveis, seu capital intelectual diz mais sobre ela do que qualquer coisa. Afinal de contas, as pessoas são as responsáveis por garantirem que as ideias ganhem forma, originando em  soluções tangíveis e inovadoras para os clientes.

Tendo isso em mente, uma das principais preocupações das corporações é formar times que estejam alinhados com seus valores e objetivos, uma vez que a admissão de colaboradores que não possuem perfis adequados ao que a empresa procura pode gerar um alto índice de turnover e resultar em prejuízos futuramente.

Outro cenário muito comum é a perda de bons funcionários por conta de políticas precárias de retenção de talentos. Nesse caso, promover um ambiente acolhedor e que motive os profissionais a trabalharem de forma produtiva e engajada é uma prática fundamental para evitar a rotatividade.

Você sente que sua agência precisa de uma política de fidelização de funcionários mais efetiva? Então não deixe de conferir este post e elimine de uma vez por todas a rotatividade.

O que é turnover?

O turnover diz respeito à alta rotatividade de colaboradores em uma determinada empresa. Se na sua agência os funcionários são admitidos e desligados com certa frequência, significa que algo precisa mudar. Isso porque, além de indicar uma falha na gestão, tal prática pode custar caro para a organização.

Claro que a rotatividade não ocorre do dia para a noite, existem uma série de fatores que podem indicar que as condições de trabalho não estão estruturadas o suficiente para que os colaboradores se sintam motivados a permanecerem na empresa. Más condições do trabalho, clima ruim, baixa remuneração, insatisfação com o trabalho, perfil inadequado e problemas de gestão são só alguns motivos para que isso aconteça.

Quais são os tipos de turnover?

Há uma série de motivações que levam ao desligamento dos colaboradores de uma empresa. Claro que abolir a rotatividade no mercado é uma tarefa complexa e exige muita dedicação, mas é possível evitá-la a partir de boas práticas de gestão. Antes de apresentar nossas dicas, recomendamos que os tipos de turnover estejam bem claros para você. A seguir, listamos cada um deles:

Turnover voluntário

Modalidade de turnover mais comum entre executivos e profissionais de nível superior, o turnover voluntário diz respeito à solicitação de desligamento da empresa por parte do colaborador.

Um dos motivos que levam ao turnover voluntário, é a oferta de empregos financeiramente mais vantajosos. Soma-se a esse fator a ausência de um plano de carreira ou o excesso de conflitos internos na empresa.

Por consequência, além de perder bons profissionais, a empresa acaba ficando com uma imagem externamente, encontrando dificuldades para atrair novos colaboradores, já que, como sabemos, a indicação de profissionais do mesmo ramo é muito comum no mercado publicitário.

Turnover involuntário

Ao contrário do turnover voluntário, aqui temos o tipo de rotatividade na qual a saída do funcionário é orientada pela própria empresa. Novamente, essa modalidade reflete gargalos muito comuns em qualquer negócio: desde falhas na gestão financeira, baixa performance do colaborador, quebra de cláusulas de contrato, conflito com outros membros da equipe, entre outros fatores.

Turnover funcional

Nem todo turnover é uma perda para a empresa. Prova disso é o turnover funcional, que diz respeito ao desligamento de um profissional por conta própria devido a um rendimento insuficiente no trabalho. Dessa forma, a organização é isentada de todos os gastos referentes a leis trabalhistas decorridos de uma demissão.

Todavia, fica a cargo da empresa a comprovação de que, de fato, o colaborador não estava apresentando uma boa performance em suas funções. Feito isso, a agência está apta a procurar outro profissional que esteja pronto para desempenhar o trabalho de forma eficiente.

Turnover disfuncional

Se no turnover funcional a empresa tem a oportunidade de encontrar um colaborador que desempenhe suas funções de forma mais produtiva, no disfuncional ocorre a perda de um funcionário que apresentava um bom desempenho. Mais uma vez, os problemas na retenção de talentos ficam em evidência, apontando para gargalos na gestão de pessoas e do negócio como um todo.


Como é feito o cálculo do turnover

Embora cada empresa possua suas particularidades, efetuar o cálculo do turnover de forma correta é fundamental para evitar ou minimizar o problema. Assim, basta considerar o número de colaboradores admitidos, a quantidade de funcionários demitidos e o total de profissionais que estão atualmente na empresa.

Feito isso, some todas as entradas e saídas e divida por dois. Depois, divida o resultado obtido pelo número de colaboradores da agência. Por fim, é só multiplicar o valor por 100, chegando assim à taxa de turnover da empresa.

Powered by Rock Convert

Você deve estar se perguntando: existe um valor ideal para que o turnover seja considerado equilibrado? Bem, claro que esse número pode variar, mas é importante que essa taxa seja inferior a 5%. Se o valor estiver acima do estipulado, reveja onde está o gargalo e, se necessário, mude alguns processos no negócio.

Como reduzir o turnover na agência

Depois de tudo que falamos até aqui, ficou claro que diminuir o turnover gera ganhos para ambos os lados: tanto para a empresa, quanto para os colaboradores. Pensando nisso, separamos algumas dicas fundamentais para não errar na hora da contratação e na retenção  dos funcionários.

Contrate os profissionais certos

Antes de pensar em como aprimorar a retenção dos funcionários na agência, é essencial adotar as melhores práticas ainda no momento da contratação. E como se sabe, tudo começa na etapa de divulgação da vaga.

Aqui, é hora de passar as informações de forma clara a fim de que somente os profissionais com o perfil ideal sejam atraídos pela vaga em questão, trazendo o pessoas que se adequem às necessidades da agência e estejam dispostas a desempenharem o seu melhor.

Mantenha o time alinhado com os objetivos da agência

De nada adianta contratar excelentes profissionais se eles não refletem os valores, missão e visão da empresa. Em agências de comunicação não é diferente, já que se trata de um ambiente que se difere de empresas tradicionais por seu caráter descontraído e fora dos padrões. Dessa forma, pense na forma que você quer que as pessoas enxerguem seu negócio e transmita isso em todos os seus canais. Assim, fica fácil atrair profissionais que se identifiquem com a cultura da agência e queiram fazer parte dela.

Estabeleça metas claras para o time

Os seus colaboradores sabem para onde sua agência está indo? Sabem o que você espera deles? Caso sua resposta tenha sido negativa para essas perguntas talvez seja hora de repensar essa questão. Isso porque, quando você define métricas claras para todo o time, as expectativas são alinhadas e os colaboradores ficam muito mais motivados para caminharem juntos em direção aos mesmos objetivos da empresa, independente dos desafios.

Uma metodologia muito utilizada para esse fim é o OKR (Objectives and Key Results), recurso que gira em torno de dois componentes-chave: objetivos e resultados. A partir desse mecanismo, você poderá compartilhar todos os objetivos com a equipe, tornando mais simples alcançá-los.

5. Faça onboarding com os novos colaboradores

O onboarding diz respeito à integração de novos funcionários à uma empresa. Na prática, o método é responsável por introduzir a cultura da empresa aos novos colaboradores: sua missão, visão,valores e processos seguidos na rotina de trabalho. Além de reduzir o turnover, esse recurso gera a sensação de pertencimento dos novatos ao novo local de trabalho. Indo um pouco mais além, tente inserir o novo colaborador à rotina da agência, apresentando- o ao restante do time no momento de sua chegada.

6. Foque na transparência

Tão importante quanto encontrar a pessoa perfeita para preencher aquela vaga super concorrida, é ser transparente com esse novo integrante do time. Como? Envolvendo-o em decisões, comunicando qualquer tipo de mudança, apresentando o planejamento estratégico da empresa, etc.

7. Estabeleça um plano de carreira

Que profissional não almeja crescer e conquistar melhores salários, não é mesmo? E acredite, qualquer empresa que deseja reter um bom profissional, precisa estabelecer formas de trilhar o caminho desse colaborador rumo ao sucesso.

O mais importante, contudo, é tornar as possibilidades de crescimento claras e estruturadas, mantendo-o motivado a permanecer como parte do time. Uma excelente alternativa para colocar isso em prática é por meio dos 1:1, reuniões feitas de forma individual com o gestor a fim de definir os próximos passos para o alcance dos objetivos do funcionário.

8. Propicie momentos de descontração

Manter o foco no trabalho é essencial, disso não duvidamos. Mas em meio à rotina de trabalho, promover momentos de descontração é indispensável para reduzir o turnover e manter os colaboradores engajados e mais produtivos.

Aqui, é hora de incorporar as datas comemorativas ao ambiente de trabalho. Aqui na iClips, por exemplo, incluímos o carnaval em nosso calendário sempre que possível. Assim, além de criar um ambiente descontraído, os colaboradores podem exercitar a criatividade compondo marchinhas e elegendo fantasias que tenham a ver com nossa área de atuação.

9. Promova a capacitação da equipe

Com a contratação de novos funcionários, surgem novas responsabilidades e o esforço para alcançar as metas estabelecidas, e não existe forma mais eficaz de atingir tais objetivos do que a capacitação constante dos colaboradores. Claro que a tarefa de buscar informações pode partir do próprio time.

No entanto, ao oferecer cursos internos e externos, você estará estimulando-os a buscarem mais conhecimento a cada dia. E se os colaboradores são os principais responsáveis por aplicarem as estratégias na busca por resultados efetivos, nada mais justo que incorporá-los ao propósito da organização.

Você pode começar com nossos mini cursos, criados especialmente para ajudar todas as esferas da agência a lidarem melhor com seus desafios diários. Faça agora mesmo gratuitamente. Bem, depois de entender o que é turnover e como eliminar esse gargalo na agência, que tal conhecer o impacto do treinamento e desenvolvimento de pessoas na estratégia de crescimento da sua agência? Aproveite!