17
jun

People Analytics: o que é e como aplicar na gestão de pessoas

A aquisição e retenção de talentos tem ficado cada vez mais data-driven. Por isso, vamos explicar para você tudo sobre o People Analytics, a nova tendência na gestão de pessoas

people analytics iclipsLeia nosso post e veja como o People Analytics pode ajudar sua agência a crescer.

Provavelmente você já ouviu isso em muitos lugares: os dados e o People Analytics estão transformando o ambiente de trabalho. A área de Recursos Humanos (RH) está ficando cada vez mais data-driven e os especialistas não estão ignorando esta tendência. Para as agências, o People Analytics representa muitas oportunidades de crescimento.

Olhando de relance, a necessidade de fazer o RH funcionar à base de dados é intrigante, pois este é um setor que é conhecido por ter uma das maiores quantidades de dados e informações em uma organização. No entanto, esses dados têm sido usados, em sua grande maioria, somente para criar relatórios descritivos.

O que tem faltado neste cenário é a habilidade de usar e lapidar esses dados de maneira estratégica, alinhando com objetivos de negócio como maior receita, redução de custos ou aumento da produtividade de seu time criativo.

A análise avançada de dados pode aperfeiçoar dramaticamente a maneira como sua agência identifica, atrai, desenvolve e retém talentos. Contudo, como dissemos acima, muitas organizações ainda tomam esse tipo de decisão baseadas em instinto e intuição. O People Analytics ajuda gestores a usar todo o poder dos dados, aumentando a precisão, diminuindo a parcialidade e melhorando a performance e produtividade.

Neste post vamos te mostrar tudo sobre o People Analytics e as vantagens para sua agência!

Confira também:

O que é People Analytics?

People Analytics refere-se ao método de análise de dados que pode ajudar gestores e executivos a tomarem decisões mais assertivas sobre seus colaboradores. Esta técnica aplica estatística, tecnologia e expertise para um amplo conjunto de dados, o que resulta em uma gestão mais eficiente para a agência.

É uma nova conquista para o setor de recursos humanos, pois as companhias estão buscando por um melhor retorno sobre o investimento (ROI) feito com a aquisição de pessoal. Os velhos métodos intuitivos não são mais suficientes.

A nova tendência é analisar as questões envolvendo o pessoal da agência usando dados, possibilitando responder perguntas críticas sobre sua organização, como:

  • Quão alto é o turnover anual da agência?
  • Quanto desse turnover consiste em perdas reais para a empresa?
  • Você sabe quais funcionários estão mais propensos a deixar a companhia dentro de um ano?

A tecnologia tem impulsionado o People Analytics

O aumento do uso da análise de dados é causado por três fatores principais. Primeiramente, devido à explosão da quantidade de dados a partir dos avanços em tecnologia e em softwares. Essa adoção pode ser vista recentemente na transformação dos departamentos de vendas e marketing.

Um segundo ponto é que o setor de RH tem sido cada vez mais questionado para justificar suas decisões com base em resultados mensuráveis. Isso tem direcionado as decisões de negócio a serem tomadas a partir da analítica e dados ao invés de julgamentos subjetivos e instinto.

Além disso, grande parte dos departamentos de RH estão “sentados” em montanhas de dados sobre seus funcionários, incluindo demografia, performance, histórico de jobs, compensação e treinamento. Até recentemente, esses dados ainda estavam para serem usados de maneira efetiva e estratégica pelas agências, quadro que tem mudado com a popularidade do People Analytics.

Os três principais tipos de dados relacionados a talentos que podem ser analisados são:

  1. Dados pessoais, como demografia, habilidades e engajamento.
  2. Dados de programa, como frequência, adesão, participação em treinamentos, desenvolvimento e programas de liderança e, por fim, resultados de projetos importantes e atribuições.
  3. Dados de performance, como avaliação de rendimento e informações capturadas de instrumentos como avaliações holísticas e de sucessão.

Guia completo de gestão para agências: Saiba tudo sobre como otimizar seus processos!

Faça o download do nosso guia de gestão e tenha acesso a tudo o que você precisa para organizar sua agência e alavancar seus resultados

Quais os benefícios do People Analytics?

Usar análise de dados tem o potencial de melhorar a efetividade da aquisição de talentos da agência. Ao determinar as qualificações da posição e mensurar o potencial dos candidatos antes da contratação, é possível afunilar e aperfeiçoar o perfil dos candidatos para alguma vaga aberta. Para o recrutamento os benefícios incluem:

  • reduz o tempo de contratação ao substituir processos manuais;
  • aprimora a qualidade de contratação ao evitar vieses inconscientes no processo;
  • coletar dados de recrutamento e contratação pode ser correlacionado com resultados de negócio, como aumento de receita.

Este último ponto é especialmente importante, pois conectar dados de contratação com dados gerais de negócio é o que está empoderando a aquisição de talentos para se tornar uma função estratégica ao providenciar insights úteis para a agência. Além disso, existem outros benefícios do People Analytics.

Identifica os motores de alta performance da agência

O People Analytics vai fundo para descobrir os fatores únicos que influenciam no desempenho total da empresa. Os líderes podem aplicar os insights para suas estratégias de desenvolvimento de talentos e nas práticas de recrutamento e podem indicar lacunas individuais de performance.

Agiliza a contratação e diversifica a equipe

Com a análise de dados é possível identificar características associadas a contratações bem sucedidas, além de aplicar processos rigorosos para avaliar candidatos com relação a esses aspectos. O resultado é um processo mais ágil e um conjunto mais diverso de novos funcionários mais propensos ao sucesso.

É interligado com o impacto nos negócios

Com People Analytics, os talentos são diretamente conectados a aumentar o valor da sua agência. As novas tecnologias ajudam gestores a terem certeza que eles têm as pessoas certas nos cargos certos para lidar com desafios importantes para a organização.

Não elimina o fator humano nas decisões

Alguns departamentos de RH podem ficar resistentes a usar abordagens data-driven pois eles temem que sua expertise possa ser negligenciada. No entanto, sempre será crucial que sua agência tenha pessoas inteligentes que possam usar seu julgamento e experiência para cuidadosamente avaliar a qualidade dos dados coletados, contextualizar e tirar significados das análises e para decidir qual a melhor maneira de agir a partir dessas informações. Este é o pensamento crítico que os algoritmos não conseguem substituir.

Como aplicar este método na agência?

Vencer seus competidores quando se trata de atrair, contratar e reter os melhores candidatos está ficando cada vez mais urgente em um mercado de talentos cada vez mais diversificado. Para introduzir o People Analytics na sua agência, siga as dicas abaixo.

  • Invista em um profissional com nível sênior para direcionar o People Analytics: a função deve proporcionar suporte global, não apenas uma análise técnica; e requer apoio do Chief Human Resources Officer (CHRO), recursos técnicos do TI e um líder altamente focado nos negócios.
  • Estabeleça uma liderança clara: um único time e seu líder devem tomar conta dos estágios iniciais da aplicação da análise, mesmo se essa capacidade eventualmente torne-se descentralizada.
  • Priorize dados claros e confiáveis do RH e da agência: a análise é tão boa quanto a qualidade dos dados alimentados nas ferramentas e softwares. Trabalhar com informações consistentes e detalhados é fundamental para todas as práticas de análise. Tome medidas concretas para assegurar que a qualidade dos dados seja parte de qualquer discussão sobre analítica. Eduque todos os colaboradores do RH e implemente programas de governança de dados para clarear e manter a precisão de informações e a consistência por todos os setores da agência, desde o atendimento, passando pelo financeiro até os criativos.
  • Entenda que as análises são multidisciplinares: organize um grupo multidisciplinar composto por pessoas de toda a agência, não apenas PhDs ou estatísticos, pois a análise técnica é somente uma pequena parte de todo o trabalho. A função dos dados, sua qualidade e visualização, conhecimento de negócios e habilidades de consultoria são todas essenciais para o sucesso.
  • Desenvolva um roteiro de investimento de dois a três anos para o programa de People Analytics: este investimento objetiva construir uma nova função de negócios dentro da agência, e não somente um time dentro do RH.
  • Foque em ações, não somente em descobertas: para providenciar valor real, o time de análise deve traduzir informação em soluções, e os colaboradores devem agir sobre elas.

Integre o RH, a agência e dados externos: programas avançados de People Analytics cada vez mais sustentados pela intersecção de dados do RH, do operacional e de fontes externas. Organizações precisam de uma estratégia de dados que encoraje a integração e uso de informações estruturadas e desestruturadas de fontes internas e externas.

E como será  futuro do RH nas agências?

Nos próximos anos, o número de fontes de dados irá crescer exponencialmente, levando a uma fusão de dados internos e externos para prever o comportamento do funcionário. Nas agências, o People Analytics irá se tornar cada vez mais interdisciplinar e, eventualmente, estará totalmente integrado aos sistemas e ao background e não somente como uma fonte separada de informações.

Essa tendência não está atingindo somente o setor de recursos humanos e de People Analytics, mas todas as áreas do negócio. Integração de informações, automatização de processos recorrentes e mensurabilidade são imprescindíveis para o sucesso de gestão. Sua agência está preparada para o futuro? Faça o teste do iClips gratuitamente por sete dias e experimente otimizar sua gestão!

Nova call to action