18
mar

Brainstorming, ou chuva de ideias: como fazer para ter ideias geniais!

Está com dificuldade para ter ideias ou para encontrar uma saída inovadora para seus problemas? O brainstorming pode ser uma solução interessante e até divertida! Saiba tudo em nosso post!

o que é brainstorming e como aplicar nas reuniões da agência

Reuniões de brainstorming são momentos ou documentos essenciais em agências de comunicação. São esses encontros os responsáveis por transformarem meras ideias em campanhas tangíveis, cheias de criatividade e que solucionem as necessidades e objetivos dos clientes.

No entanto, se mal aproveitadas, o brainstorming (também conhecido como tempestade ou chuva de ideias) pode resultar em uma perda de tempo para todo o time. Pensando nisso, criamos esse material completo para ajudar você e seu time a tornar esses processos mais produtivos. Confira!

O que é brainstorming e como funciona?

Em tradução literal, brainstorming significa “tempestade de ideias”, aplicado tanto para reuniões para a criação de estratégias para o próprio negócio quanto para a criação das campanhas dos clientes. Independentemente do objetivo, o brainstorming é uma prática bastante utilizada em agências de marketing e publicidade, mas que vem ganhando força entre os mais diversos segmentos.

Criado há mais de 70 anos pelo autor Alex Osborn, o brainstorming é o momento no qual todas essas ideias ganham corpo – seja para solucionar um problema, criar um novo produto ou simplesmente planejar as ações de um período.

Osborn destrinchou o processo criativo, da maneira que existia na época, em quatro fases:

  • foco em quantidade
  • contenção de criticismo
  • abertura para ideias incomuns
  • combinação e melhoramento de ideias

O autor desenhou esses passos para dar um gás na criatividade, especialmente quando você está tendo uma tempestade de ideias em grupo. Ele descobriu que esse processo retira inibições que as pessoas normalmente têm quando estão compartilhando ideias entre seus colegas.

Em outras palavras, o brainstorming combina uma abordagem relaxada e informal para a resolução de problemas com pensamento lateral. Ele encoraja as pessoas a aparecem com pensamentos e ideias que, à primeira vista, pareçam bem malucas.

No entanto, algumas dessas ideias podem ser lapidadas em soluções originais e criativas para um problema, enquanto outros podem surgir com mais pensamentos imaginativos. Isso ajuda os colaboradores a se soltarem ao se “sacudirem” para fora de seus modos normais de pensar.

Tempos depois, a técnica permanece como uma unanimidade entre os criativos. Na prática, ao ter em mãos o briefing do cliente, a ideia é reunir todos os envolvidos no projeto e agendar uma reunião cujo objetivo principal é resolver o problema do cliente em questão.

Esta aula do professor Marcelo Quinan é bastante interessante para compreender o poder do brainstorming para a criatividade. Confira:

Onde usar?

Basicamente, o brainstorming pode ser aplicado em todos setores de uma empresa, como no desenvolvimento de artigos, otimização de ideias ou desenvolvimento de novas ou até mesmo na reestruturação da logística.

É possível adotar essa estratégia para encontrar as melhores palavras-chave, para elevar a performance de uma determinada área da organização ou em qualquer situação que exija criatividade.

Contudo, ao iniciar esse processo é necessário identificar qual é o problema a ser solucionado. Assim, é possível começar a chuva de ideias para resolver um impasse ou criar algo novo.

Brainstorming individual ou em grupo?

A tempestade de ideias pode vir tanto de maneira solitária, para que você viaje dentro da sua própria mente, ou em grupo, com o intuito de compartilhar pensamentos para se chegar a soluções interessantes e inovadoras. Ambos têm seus altos e baixos.

Individual

Enquanto o brainstorming grupal é mais efetivo em gerar ideias do que reuniões tradicionais, fazer uma viagem mental sozinho também pode levar a grandes soluções.

Isso pode ocorrer porque grupos nem sempre seguem as regras do brainstorming, e maus comportamentos podem se infiltrar no processo. Na maioria dos casos, no entanto, isso acontece porque as pessoas prestam muita atenção nas outras que isso impede que elas gerem ideias próprias – ou elas acabam esquecendo enquanto esperam a sua vez de falar. Isso é chamado de “bloqueio”.

Quando você faz um brainstorming individual, você não precisa se preocupar com o ego ou opiniões de terceiros, te deixando mais livre e potencialmente mais criativo. Por exemplo, você pode constatar que uma ideia que você hesitaria em trazer para um grupo se desenvolve legal quando você a explora sozinho.

No entanto, é possível que você não desenvolva boas ideias sozinho, pois você não tem a experiência que outros membros de um grupo teriam.

O brainstorming individual é mais efetivo quando você precisa resolver um problema simples, gerar uma lista de ideias, ou focar em uma questão ampla. Por sua vez, o brainstorming em grupo é mais efetivo em resolver problemas complexos.

Em grupo

Aqui a vantagem é ter em mãos as experiências e criatividade de todos os membros da equipe. Quando alguém trava em um ponto, outra pessoa pode levar a ideia para o próximo estágio. Você pode aprofundar muito mais nas ideias em grupo.

Outro benefício é o sentimento de que todos contribuíram para a solução, e reforça a ideia de que todos têm algo criativo para contribuir. Sem contar que é divertido e pode ser ótimo para a construção do time.

Sempre que possível, os participantes devem ser os mais diversos, de várias disciplinas. Essa multidisciplinaridade de experiências pode tornar as sessões mais criativas. No entanto, não faça grupos muito grandes: times de cinco até sete pessoas são geralmente os mais eficazes.

Quais são as etapas mais comuns de um brainstorming?

Assim como qualquer estratégia que precisa ser implementada, o brainstorming também tem uma série de etapas a serem cumpridas para um resultado mais eficiente. Saiba quais são esses processos.

Preparação

Em primeiro lugar, deixe a sua equipe ciente de qual será a pauta do brainstorming. Isso faz com que as ideias surjam de modo mais focado, o que evita o desperdício de energia quando as ideias são apresentadas de forma aleatória.

Por isso, disponibilize um material com a introdução ao assunto para o seu time e deixe-o fazer uma avaliação.

Reunião

O próximo passo consiste na reunião da equipe. Aqui, lembre-se de que algumas pessoas podem ficar envergonhadas na hora de se expressar diante dos seus colegas. Levando isso em consideração, prepare o ambiente para que todos fiquem à vontade.

Antes da reunião começar, dê um tempo para que os colaboradores coloquem as suas ideias no lugar. Quando o processo se iniciar dê atenção para todas as ideias, e disponibilize o mesmo tempo para a apresentação delas. Dez minutos é o suficiente.

Chuva de ideias

No decorrer do brainstorming anote todas as ideias que estão surgindo e use um local visível para o grupo. Assim, você demonstra que todas as ideias estão sendo levadas a sério.

Acumule o maior número possível de ideias, procurando expandir a sua mente para entender a visão de cada colaborador. Jamais julgue ou diminua uma ideia, pois isso pode trazer insegurança e cortar o fluxo de criatividade.

Seleção

Se a intenção é fazer a seleção junto ao grupo, comece descartando aquelas ideias que são duplicadas. Analise todas as contribuições e elimine aquelas que são ruins ou medianas, mas de maneira gentil.

Ao fazer isso, você vai chegar a um número de ideias menor, podendo estudar mais a fundo as que têm bom potencial. Por último, diga que o processo foi produtivo e agradeça a colaboração de todos.

Definição

Evidencie para a equipe quais foram as ideias que se destacaram e o motivo pelo qual foram escolhidas. Na sequência, é a hora de se aprofundar nessas ideias. Não é preciso manter todo o time para esse processo, pode-se contar com até três pessoas.

Quais são os principais métodos para fazer as ideias fluírem?

O brainstorming se tornou uma arte e a chave para não só minar novas ideias, mas também para cristalizá-las em processos práticos. Não sabe como estruturar o brainstorming? Tente algum desses métodos populares na próxima vez que seu tanque de ideias estiver vazio. Esses métodos podem ser usados tanto para o brainstorming individual quanto o grupal, veja quais são eles.

Mapas mentais

Parte do desafio da chuva de ideias é tentar captar cada uma das ideias viajando pelo ar. Mapas mentais são diagramas criativos e não-lineares usados para capturar todo o fluxo de ideias para que você não perca nada.

Comece com um tópico ou questão no centro do mapa, e vá criando troncos para incluir os pensamentos de todos os participantes

Preenchimento de lacunas

Preenchimento de lacunas, também conhecido como análise de lacunas, requer que você identifique seu estado atual e seu objetivo final e, então, encontrar lacunas, gargalos e possibilidades entre os dois estados. Esse método faz a seguinte pergunta: como sairemos daqui para chegar lá?”

A análise de lacunas é especialmente útil quando o assunto é resolver um pepino, pois requer que você encontre soluções viáveis. Fluxogramas e mapas mentais podem te ajudar a desenhar as grades das suas lacunas.

Análise SWOT

A análise SWOT (também conhecida como matriz FOFA), como já falaram em vários posts aqui no blog, é um exercício de planejamento estratégico que você pode lançar mão para avaliar um projeto, campanha, serviço, indivíduo ou negócio. A sigla SWOT significa: 

  • Strenghts (Forças): Como seus serviços, projetos e modelo de negócio dominam ou se destacam no mercado?
  • Weaknesses (Fraquezas): Quais são as falhas ou imperfeições que podem danificar ou prejudicar seu negócio?
  • Opportunities (Oportunidades): Quais oportunidades externas o seu negócio pode se aproveitar?
  • Threats (Ameaças): Quais são os possíveis problemas e crises externas que podem prejudicar seu negócio?

5 porquês

Se você já foi interrogado por uma criança pequena, você sabe como pode soar esses cinco porquês. Você responde uma pergunta só para ser bombardeado por uma sequência frenética de “porquê? Porquê? Porquê? Porquê? Porquê?”

Mas verdade seja dita: essa criança está legitimamente curiosa. Criado por Taiichi Ohno, o pai do sistema kanban, os cinco porquês se tornaram populares na Toyota como um processo padrão para análise de causas matrizes, ou seja, para chegar no coração do problema.

Menos estruturado do que os outros métodos, os 5 porquês funciona da maneira que você pensou: perguntar “porquê” um atrás do outro até chegar na raiz do obstáculo ou do revés. Esta técnica encoraja um diálogo aberto que pode gerar novas ideias sobre um problema, de maneira individual ou em grupo. Cada porquê pega a resposta do porquê anterior.

Starbursting

Da mesma forma que um repórter tenta descobrir as informações essenciais para uma reportagem, o método starbursting requer que você pensa sobre quem, o quê, onde, quando, porquê e como para qualquer nova ideia.

Coloque sua ideia principal no centro de um diagrama em estrela, etiquetando cada “perninha” da estrela com os 5 porquês.

Depois, desenvolva uma série de questões sobre sua ideia em cada ponto. O starbursting é bem popular entre os métodos de brainstorming por conta de sua natureza explorativa: uma questão liga-se a outra e, antes de você se dar conta, você tem um esboço de uma estratégia sólida no meio das respostas.

Brainwriting

Também conhecido como método 6-3-5, o brainwrinting foi criado pelo professor alemão Bernd Rohrbach, com a finalidade de obter 108 ideias em meia hora. Nessa técnica, você tem que registrar as ideias para definir um objetivo específico e a qualidade de cada sugestão.

Essa estratégia requer seis pessoas escrevendo três ideias no papel num período de cinco minutos. Depois de seis rodadas, totalizando 30 minutos, você terá 108 ideias disponíveis.

Post-it

O uso desses papéis autocolantes dá mais destaque para as ideias, agregando agilidade para o brainstorming, além de inspirar a equipe, fazendo com que ela participe ativamente do processo.

Dê um bloquinho e uma caneta para cada um dos colaboradores e solicite que escrevam as suas ideias. Depois, coloque todos os papéis em um mural.

Incentive a criatividade dos participantes deixando claro que também é possível desenhar para ilustrar as suas ideias.

Jogos de improviso

Improvisar é algo comum para todos nós. Afinal, em algum momento da vida, todos já tivemos que encontrar uma solução rápida para um problema.

A principal vantagem da improvisação é aumentar o fluxo criativo, evitando bloqueios. Trabalhar todos os dias, no mesmo ambiente e com as mesmas imagens, pode fazer com que o seu cérebro se acostume e tenha dificuldade para pensar coisas fora da curva.

Nesse sentido, proponha jogos de improviso para que a sua equipe saia da zona de conforto e tenha que pensar em novas ideias para o problema proposto.

Mural de imagens

De acordo com um estudo do Carreira Solo, o nosso cérebro consegue registrar imagens 60 mil vezes mais rápido do que textos. O marketing costuma utilizar essa informação, preocupando-se com fontes, cores e logotipos que chamem a atenção das pessoas.

Esse conceito também pode ser aplicado no brainstorming a partir do uso de imagens que estimulem o cérebro dos colaboradores. Monte um mural com imagens que estejam relacionadas ao tema.

Criar um ambiente mais visual incentiva a pessoa a se ‘’transportar’’ para a cena do problema, o que a faz enxergar com mas facilidade a solução. Isso porque as linhas de raciocínio são expandidas, fazendo com que brainstorming flua melhor. 

Brainstorming oposto 

Você sabe o que significa o brainstorming oposto? Esse conceito nada mais é do que a inversão ou aumento de um determinado problema. Vamos supor que o principal gargalo esteja centrado na dificuldade em fidelizar os atuais clientes.

Nesse caso, ao invés de se perguntar: “quais as melhores práticas para reter um cliente?’’ você se perguntaria: ‘’quais as piores práticas ao fidelizar um cliente’’. Assim, é possível entender o que não fazer quando o assunto é reter os clientes e pensar em ações que poderão auxiliar para que tal problema seja solucionado.

Mas afinal, como fazer um brainstorming eficiente?

Garantir que as reuniões de brainstorming tragam resultados efetivos depende de alguns fatores fundamentais:

Tenha um tema definido

Como dito anteriormente, é fundamental que todos tenham em mente objetivos bem claros quando se trata da entrega de resultados para os clientes. E por mais que a liberdade seja um fator chave para que cada um possa colocar “para fora” o que está pensando, o recomendado é delimitar o tema antes que o encontro aconteça.

Trata-se de estabelecer uma necessidade ou um problema de forma clara para o grupo. Assim, todos vão para a reunião preparados e com boas sugestões em mente.

Entenda o que foi solicitado pelo cliente 

Uma característica primordial no profissional de atendimento é a capacidade de pesquisar, pesquisar e pesquisar. E se existe um momento no qual essa habilidade deve ser colocada em prática é após a definição do briefing com o cliente.

Isso porque, antes de agendar a reunião, é fundamental separar um tempo para analisar e entender o que foi solicitado. Não economize, portanto, no trabalho de pesquisa.

Compartilhe o que você descobriu com o resto do grupo 

Um dos fatores que contribuem para que o grupo esteja alinhado no momento da reunião é ter conhecimento de toda a análise feita pelo profissional de atendimento. Nesse caso, é recomendado que todos os participantes tenham acesso ao material um pouco antes da reunião ou mesmo durante o processo. 

O que fazer depois da reunião de brainstorming?

Após a reunião, é o momento de documentar e organizar as ideias sugeridas. Faça uma análise crítica, considerando quais são as vantagens e desvantagens de cada uma. Essa parte do trabalho pode ser feita entre os gestores ou em conjunto com a equipe.

É durante essa etapa que o escopo da solução começa a ser desenhado. Para ter mais segurança, recomenda-se responder às seguintes perguntas:

  • o problema realmente será resolvido com esse escopo?
  • a persona vai ter interesse em aderir a solução que foi desenvolvida?
  • considerando o investimento que será feito, você está confiante de que terá um bom retorno?

Se as respostas forem positivas, você pode prosseguir com a implementação da ideia.

Quais os benefícios do brainstorming para a agência?

A aplicação do brainstorming é vital para uma agência de comunicação, uma vez que esse negócio necessita constantemente de novas ideias para apresentar soluções criativas aos seus clientes.

Os métodos de brainstorming trazem uma série de benefícios para a empresa, como o aumento da interação entre os colaboradores, maior exposição de ideias e estímulo à criatividade, rápida solução de problemas devido ao fato de diferentes pessoas apresentarem soluções diferentes para um mesmo problema, além de melhorar a comunicação, já que os profissionais ficam à vontade para trocar ideias.

E se você ficou interessado em conhecer outras dicas para tornar as suas reuniões de brainstorming ainda mais produtivas, clique na imagem abaixo e faça o download gratuito do nosso guia completo sobre brainstorming!

Brainstorming