30
jan

Quais tendências de marketing não podem faltar na sua agência?

As tendências de marketing para 2019 já estão com tudo. Você já decidiu quais usar na sua agência? Nosso artigo mostra as principais, confira!

Quais tendências de marketing não podem faltar na sua agência?

Conheça as principais tendências de marketing para aplicar na sua agência!

Se diferenciar em um mercado altamente competitivo é um dos principais pilares para agências que não abrem mão da fidelização de suas contas e da conquista de novos clientes. Se por um lado o surgimento de novas ferramentas e conceitos relacionados ao marketing digital tem aumentado, por outro é difícil saber o que de fato funciona para cada tipo de negócio.

Com a transformação digital ganhando cada vez mais espaço no mercado, por exemplo, muitas agências cogitam a implementação desse mecanismo sem antes entender se ele trará resultados efetivos para a empresa.

Nesse sentido, é essencial saber filtrar o que é relevante para o negócio em meio a tantas inovações. Foi pensando nisso que reunimos as principais tendências de marketing para que sua agência se destaque dos concorrentes e atraia mais clientes. Conheça cada uma delas agora!

Afinal, por que investir em tendências de marketing?

Vez ou outra o consumidor apresenta pistas de que o seu comportamento está mudando. Existem empresas que acompanham tais mudanças, investindo em boas estratégias de marketing de comunicação e outras que preferem se acomodar ao que já executam desde sempre.

Aí que está o grande erro. É preciso se adaptar. E isso não significa investir em todas as tendências lançadas todos os anos, mas sim escolher ações que trarão bons resultados. Caso você já faça isso, temos certeza de que está colhendo frutos, mas se ainda não faz, seja por receio ou por indecisão do que de fato é melhor para os seus clientes, separamos as tendências mais comentadas por especialistas no assunto. Continue conosco!

Chatbot

Desenvolvida para promover a interação com usuários em chats por meio de robôs, o chatbot se mostrou um forte aliado de empresas dos mais diversos nichos no último ano. Mas engana-se quem pensa que ele foi apenas um modismo.

Para 2019, o chatbot continuará como um recurso fundamental quando o objetivo é otimizar o relacionamento com os clientes. Um de seus principais atributos é possibilidade de um atendimento objetivo, mas, ao mesmo tempo, com uma linguagem leve, nada parecido com os chats que costumávamos utilizar no passado.

Atrelado a esses fatores, é preciso considerar uma mudança profunda no comportamento do consumidor, que busca por agilidade e praticidade na hora de fazer suas compras. Isso não significa, no entanto, uma experiência engessada e sem qualquer customização. Pelo contrário, o consumidor busca por experiências únicas, seja em um atendimento bancário, ou em um processo de compras, por exemplo.

Claro que tudo isso depende de escolher a ferramenta correta. A boa notícia é que o mercado conta com boas plataformas disponíveis, unificando o atendimento e diminuindo os gastos, já que todo o time poderá utilizar o mesmo recurso.


Marketing de influência

Com o excesso de informações disponíveis na internet, investir em estratégias de comunicação que se diferenciam dos demais é fundamental para gerar o engajamento esperado. O marketing de influência é um recurso utilizado por cada vez mais empresas quando o foco é retratar o uso de um produto ou serviço de forma mais realista.

Ou seja, quando pessoas que, de certa forma, apresentam-se mais acessíveis ao público do que uma determinada celebridade indicam alguma solução, as chances de atrair um número maior de pessoas é consideravelmente maior.

Seja através de resenhas, artigos ou tutoriais, esses conteúdos ganharam a atenção do público que compartilha a mesma necessidade de validar a performance de um produto de forma eficiente.

O sucesso dessa estratégia depende, sobretudo, do conhecimento prévio da persona. Só assim é possível procurar os influenciadores que melhor se adequam aos objetivos de marketing de seus clientes.


Inteligência artificial

A inteligência artificial é um conceito amplamente relacionado a filmes futurísticos. No mundo real, esse mecanismo é um pouco mais pé no chão, mas não deixa de ser igualmente interessante. Afinal, a inteligência artificial é responsável por criar sistemas que simulam a capacidade humana da cognição, como raciocínio e tomadas de decisão.

Na comunicação, o recurso mostra-se indispensável para analisar um determinado número de dados, sugerindo possibilidades não pensadas anteriormente e indicando se elas terão ou não bons resultados.

Um de seus benefícios mais notáveis é a possibilidade de analisar de forma mais aprofundada o perfil do consumidor. Graças aos softwares que analisam o comportamento do consumidor de forma ágil e segura, fica fácil entender a predisposição de potenciais clientes ao consumo e criar ações específicas para determinado grupo.

Se você sabe que a técnica é eficaz mas ainda não tem certeza se ela é ideal para o momento do seu negócio, separamos alguns bons motivos para você adotá-la na sua agência:

  • Maior personalização da relação de uma marca com seus consumidores;

  • Possibilidade de diminuir os custos em ações que não trazem o retorno esperado;

  • Melhores resultados para os clientes com base em análises aprofundadas de todas as ações executadas;

  • Graças à análise de dados, é possível criar campanhas que de fato solucionem uma dor ou necessidade do público-alvo;

  • Melhor experiência de compra;

  • Tomadas de decisões mais assertivas e menos baseadas em achismos.


Mapeamento da jornada do consumidor

Apesar de ser um conceito amplamente difundido quando se trata de gerar bons resultados, muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre o mapeamento da jornada do consumidor. Essa tática é essencial não só para uma produção de conteúdo mais eficiente mas também para aumentar as chances de conversão.

Nesse sentido, contar com algumas práticas é o que irá ajudá-lo a fazer essa tarefa tão importante de forma correta. E já que estamos falando de conteúdo, é interessante que você já comece com a análise da persona. Isso irá ajudá-lo a estabelecer uma linguagem que atraia o seu público e gere engajamento, na escolha do layout do seu blog e conteúdos que solucionem um problema ou dor.

O próximo passo é desenhar a jornada do consumidor, entendo como é sua relação com a empresa do momento em que se torna visitante até se converter em cliente. Foque em três pilares: conhecimento, consideração e solução. Depois, a tarefa fica por conta de determinar os melhores conteúdos para cada etapa da jornada e fazer todo o planejamento, alocando os responsáveis, estabelecendo prazos e escolhendo as melhores palavras-chave.

Por fim, promova os conteúdos por meio de fluxos de nutrição de e-mail marketing e campanhas nas redes sociais. Afinal, de nada ter excelentes conteúdos se eles não serão divulgados para sua persona, certo?

 

Descubra o nível de maturidade de gestão da sua agência

Gestão de marca

Você já pensou em investir na gestão de marca dos seus clientes? Caso não, é hora de começar. Citando novamente o comportamento do consumidor, fica claro que fatores como o produto ou o serviço propriamente ditos deixaram de ser o centro das atenções. Claro que ainda são importantes, mas existem outras questões que influenciam diretamente na decisão de compra, e a percepção marca é uma delas.

Sabendo disso, as empresas consideram cada vez mais esses atributos na hora de estabelecer uma estratégia de comunicação. Nesse sentido, as corporações têm investido cada vez mais no branding, conceito que reúne um conjunto de ações com o objetivo de definir uma identidade da marca com base em um bom posicionamento, discurso e outros elementos essenciais para a construção da imagem de uma empresa.

Mas lembre-se, nenhuma estratégia de branding funcionará sem antes entender do que que se trata o negócio, qual o produto ou serviço oferecido e qual será o posicionamento em relação a tais soluções.

Afinal, transmitir confiança e entender como o público enxerga a marca é fundamental se o objetivo é conquistar uma posição de liderança no mercado. Assim, é possível definir os reais benefícios ofertados e como eles resolverão uma dor ou necessidade do consumidor.

Aqui, estratégias de marketing digital e comunicação andam juntas, do design de um e-commerce ao planejamento de redes sociais: todas as ações devem estar relacionadas de alguma forma, sempre deixando claro o posicionamento e identidade da empresa.


Business Intelligence

Não é de hoje que o foco em resultados tem sido o pilar das estratégias adotadas pelas agências de comunicação. Além da preocupação com a performance de seus clientes, as empresas de comunicação estão mais cientes da importância de mensurar os próprios resultados. Um recurso muito utilizado para a análise de informações é o Business Intelligence, recurso que proporciona a conversão de dados brutos em informações relevantes para o negócio.

Quando se trata das tomadas de decisões, esse mecanismo facilita a coleta, análise e organização dos dados a fim de otimizar as decisões estratégicas dos gestores. Na prática, o B.I atua coletando dados de todos os setores de uma empresa, os quais são captados e armazenados em um único sistema para análises posteriores.

Tudo começa com a escolha de indicadores. Assim, você poderá acompanhar qualquer mudança nesses números e implementar melhorias em sua estratégia. Em softwares específicos para agências de comunicação, os relatórios de business intelligence mostram o ranking de clientes mais rentáveis para sua agência, o custo por cada job, comparativo anual e trimestral, pendências de recebimento de clientes, informações relacionadas ao inbound marketing, entre outras.

E se você ficou interessado em conhecer mais sobre a aplicação do business intelligence em agências de comunicação, temos um artigo que mostra, de forma detalhada, como essa ferramenta pode diminuir custos e otimizar atividades do dia a dia. Confira!